O Mistério da Lição de Casa nas Nuvens

O Mistério da Lição de Casa nas Nuvens

Naquela tarde ensolarada em Fortaleza, Arthur, um garotinho esperto de 3 anos, estava brincando de esconde-esconde com seu pai, José, um mestre na dança.

- Achei você, Arthur! - José disse, rindo enquanto encontrava Arthur atrás da cortina.

- De novo, papai! - Arthur pediu, animado.

De repente, um vento forte e gelado invadiu a casa, fazendo as cortinas voarem e os brinquedos tremerem. Era estranho, pois o dia estava lindo!

- O que foi isso, papai? - Arthur perguntou, um pouco assustado, se agarrando à perna de José.

- Não sei, Arthur. Vamos dar uma olhada! - José respondeu, curioso.

O vento vinha da janela! Ao se aproximarem, viram que o céu, antes azul, agora estava coberto por nuvens cor de rosa e lilás. E no meio delas, havia um buraco brilhante, como um portal mágico!

- Uau! Que lindo! - Arthur exclamou, seus olhos brilhando de curiosidade.

- Parece que somos convidados especiais para um lugar mágico! - José disse, pegando Arthur no colo.

E num piscar de olhos, pai e filho foram sugados para dentro do portal, girando e rodopiando até chegarem em um lugar macio e fofinho... Eles estavam em cima de uma nuvem!

- Papai, olha! Estamos voando! - Arthur gritou, maravilhado com a sensação de flutuar.

- É incrível, Arthur! Mas onde será que estamos? - José perguntou, olhando ao redor.

As nuvens ao redor eram como um parque de diversões gigante, com escorregadores de arco-íris, balanços de algodão doce e até mesmo um carrossel de estrelas cadentes! No centro de tudo, havia um castelo feito de nuvens douradas, brilhando como o sol.

- Que lugar mágico! - Arthur exclamou, apontando para o castelo. - Vamos lá, papai!

Enquanto caminhavam pelas nuvens fofinhas, viram uma placa escrita em letras brilhantes: "Escola das Nuvens". Era ali que as crianças nuvens aprendiam a fazer chover, nevar e até mesmo criar arco-íris!

- Que legal! Será que podemos entrar, papai? - Arthur perguntou, já imaginando as aulas mágicas.

- Claro que sim! - José respondeu, abrindo a porta do castelo.

Conheça a Yuna

Crie suas histórias sem nenhum custo

Dentro da escola, tudo era brilhante e colorido! Havia livros voando, lápis dançando e quadros que se moviam sozinhos. Mas o que mais chamou a atenção de Arthur foi uma sala no final do corredor, onde uma luz verde piscava sem parar.

- O que será que tem ali dentro? - Arthur perguntou, curioso.

- Só tem um jeito de descobrir! - José respondeu, abrindo a porta com cuidado.

Na sala, viram uma bruxinha muito engraçada, com um chapéu pontududo e óculos tortos, debruçada sobre uma pilha de livros. Ela era a professora da escola, a Feiticeira das Lições!

- Olá! - a Feiticeira os cumprimentou com um sorriso. - Bem-vindos à Escola das Nuvens! O que os trazem aqui?

- Estávamos passeando pelas nuvens quando vimos a escola! - José explicou. - Arthur ficou curioso para saber o que tinha aqui dentro.

- Ah, sim! Esta é a sala das lições de casa! - a Feiticeira explicou, apontando para a pilha de livros. - Mas parece que alguém está com dificuldades...

Em cima da pilha, um livro estava tremendo e chorando, suas páginas molhadas de lágrimas. Era a Lição de Casa da Chuva, que não conseguia parar de chorar!

- O que houve, Lição de Casa? - Arthur perguntou, preocupado.

- Buááá! Eu não consigo fazer chover! - a Lição de Casa respondeu, soluçando. - Já tentei de tudo, mas só consigo fazer nevar!

- Não chore, Lição de Casa! - Arthur disse, tentando consolá-la. - Eu te ajudo!

E assim, com a ajuda de Arthur e da Feiticeira das Lições, a Lição de Casa da Chuva finalmente conseguiu fazer chover! Era uma chuva fininha e gostosa, que deixou as nuvens felizes e brilhantes.

- Muito obrigado, Arthur! - a Lição de Casa da Chuva agradeceu, sorrindo. - Você me ajudou muito!

De repente, o vento gelado voltou a soprar, e o portal mágico reapareceu no céu. Era hora de voltar para casa!

- Tchau, Feiticeira! Tchau, Lição de Casa! - Arthur se despediu, acenando para seus novos amigos.

E num piscar de olhos, Arthur e José estavam de volta em casa, como se tudo tivesse sido um sonho mágico.

- Uau, papai! Que aventura incrível! - Arthur exclamou, abraçando seu pai.

- Verdade, Arthur! - José respondeu, abraçando o filho de volta. - Mas o mais importante é que você ajudou a Lição de Casa da Chuva! Viu como é importante ajudar os outros?

Arthur concordou, com um sorriso no rosto. Ele tinha aprendido uma lição valiosa naquele dia: ajudar os outros, mesmo nas nuvens, era a coisa mais mágica que existia!

Conheça nosso app

Crie suas histórias
gratuitas

Conheça nosso app

Crie suas próprias histórias

Conheça nosso app

Crie suas próprias histórias

Crie suas próprias histórias